Casal compartilha trabalho e lazer nesta casa em Milão

Vidas anteriores, EXPERIÊNCIAS E HISTÓRIAS

Tão interessante quanto descobrir casas bonitas é conhecer seus moradores, suas histórias, e talvez aprender alguma coisa com seus estilos de vida. Como não sou decoradora, nem arquiteta, meu foco nunca é a decoração pura e simples, as formas, as cores, o que combina com o quê. Eu gosto de conhecer pessoas e, mais ainda, pessoas criativas, inovadoras, que não têm medo de imprimir suas personalidades, seus gostos pessoais, suas peculiaridades na decoração de suas casas.

E esta casa chamou a minha atenção. Quem são essas pessoas que moram rodeados por brinquedos, obras de arte e peças de design?

Marc Sadler, hoje com 71 anos, é um designer industrial de renome mundial. O francês de origem austríaca viveu e trabalhou na França, nos Estados Unidos, na Ásia, na Itália e junto com a sua mulher, Paola, cria objetos revolucionários. Sua especialidade é design esportivo, mas foi através de suas luminárias que ele ficou conhecido mundialmente. Uma delas é a “Twiggy”, a premiada luminária criada com base no perfil curvo de uma vara de pesca, e que pode ser vista na casa em três lugares e cores diferentes: em vermelho, sobre a mesa de pebolim, em azul, ao lado de uma poltrona da sala, e em amarelo, sobre a mesa de jantar.

Nós trabalhamos juntos nos projetos, mas a partir de pontos de vista diferentes, não focamos apenas no lado industrial do projeto, mas também dando uma abordagem emocional e divertida. Marc fica com a parte mais técnica e eu trabalho com as cores e apresento o produto final para a imprensa e para empresas. 

Já a casa do casal, que está junto há mais de 20 anos e tem dois filhos, é tão revolucionária quanto suas criações. Instalada dentro de uma antiga fábrica nos arredores de Milão, ela serve como moradia e local de trabalho e é cheia de objetos únicos e divertidos. A casa é colorida, vibrante e, à primeira vista, até meio confusa, mas há uma intenção por trás de todo este caos organizado – é uma casa para ser vivida e não pra ser mostrada.

Nós não queríamos um mausoléu, mas um lugar para nós, nossos filhos, e nosso gato… Nossa casa é feita das coisas que usamos e gostamos de ter à mão todos os dias.

E assim, mesmo tendo a vida profissional totalmente voltada para a inovação, a decoração da casa é repleta de objetos cheios de lembranças, memórias, obras de arte pintadas por eles mesmos. Pra mim é como se precisassem de um porto seguro, de se rodearem de coisas que dão uma sensação de pertencimento, para poderem dar asas à sua criatividade.

Nossa casa é uma fusão de outras casas, vidas anteriores, experiências e histórias. Não era para ser uma cópia de nós, mas acabou ficando parecida conosco, porque reflete quem nós somos. Eu sou mais caótico, mas Paola gosta de simetria.

Um casal interessante, com personalidades diferentes e um estilo de vida inspirador, que encontrou uma maneira harmoniosa de compartilhar trabalho e lazer e se manter jovem nesta casa, que é quase um parque de diversões.

Fonte: USM e Freunde von Freunden





Deixe seu comentário.