Mad Max e o mais novo templo de moda em Madrid

O templo de moda é a nova loja da Chanel, que foi inaugurada há poucos meses na Calle Ortega y Gasset 16, no centro de Madrid. E Mad Max ou “dark architekt” é como é conhecido o autor da obra, o arquiteto e designer de interiores americano Peter Marino.

Chanel Madrid

Se você acha que Karl Lagerfeld e Ozzy Osbourne são excêntricos, então é porque não conhece Peter Marino. Por trás de sua aparência peculiar, no melhor estilo Mad Max, esse arquiteto de 60 e poucos anos nascido no Queens em New York, é uma das figuras mais interessantes e multifacetadas que já vi. Apesar de sua aparência de “bad boy”, sempre num look totalmente em couro, óculos escuros e anéis de caveira, esse colecionador de motocicletas, máscaras de gás e sex toys também tem um lado surpreendentemente “fofo”: está casado com a mesma mulher há mais de 30 anos, é um grande colecionador de obras de arte e um apaixonado por jardinagem e também por música clássica e ópera.

Peter Marino
Peter Marino em seu escritório em Manhattan

E é também o arquiteto mais requisitado pelas maiores fortunas americanas e pelos mais famosos estilistas de alta costura, quando se trata de um projeto para uma nova flagship. Seu escritório de arquitetura, que hoje conta com mais de 170 colaboradores, foi o responsável pelo design de nada mais nada menos 30 lojas da Chanel, 20 da Louis Vuitton, 15 da Dior, 8 de Hermenegildo Zegna e também para Fendi, Armani e Donna Karan.

Peter Marino com Karl Lagerfeld e Anna Wintour
Com Karl Lagerfeld e Anna Wintour
Peter Marino com Marc Jacobs na inauguração da Maison Louis Vuitton na Bond Street em Londres em 2010. (Photo by Nick Harvey/WireImage)
Com Marc Jacobs na inauguração da Maison Louis Vuitton na Bond Street em Londres em 2010. (Photo by Nick Harvey/WireImage)

Conhecido como o designer que melhor entende de como fazer um cliente high profile em qualquer lugar do mundo comprar, a genialidade de uma loja de Marino, como ele contou em entrevista à revista NYMag, está em nunca deixar que você se sinta “esmagado“ pela disposição dos produtos. Em vez disso você precisa ser invadido por uma sensação de riqueza, eficiência, conforto e tranquilidade – que vai te levar direto para o caixa. Há, por exemplo, sempre belíssimos sofás para você sentar e provar sapatos com todo o conforto e as roupas ficam sempre em ambientes separados, mais escondidos ou no andar superior, com uma decoração quase residencial, para que possamos nos despir, experimentar e avaliar como toda a privacidade e conforto. Mas Peter Marino também não esquece que as lojas estão ali para vender. Como as bolsas são os produtos com a maior margem de lucro para todas essas marcas, elas ficam sempre dispostas bem na entrada e de maneira que seja sempre fácil de vê-las, tocá-las ou somente admirá-las. Ou seja, além de entender de design, Marino entende também de psicologia e de marketing.

Peter Marino com Marc Jacobs, Bernard Arnault, Gong Li e Alain Delon na inauguração da Maison Louis Vuitton em Shanghai em 2012
Com Marc Jacobs, Bernard Arnault, Gong Li e Alain Delon na inauguração da Maison Louis Vuitton em Shanghai em 2012

Mas talvez a característica mais importante das lojas criadas por Marino, e provavelmente o motivo do seu sucesso, é sempre incorporar a luz do dia a seus projetos – ignorando o conceito antiquado de que o consumidor não quer ver as horas passando enquanto faz compras – e por incluir nos espaços obras de arte (algumas encomendadas com exclusividade) e uma grande gama de materiais que reflitam o DNA da marca. Tudo fruto de uma rigorosa pesquisa da marca feita através de intermináveis reuniões com vendedores, visitando as lojas e conhecendo com profundidade todos os produtos e coleções.

nueva_boutique_chanel_en_madrid_322244586_1800x1200

E foi seguindo exatamente essa metodologia de trabalho, que ele projetou a mais nova loja da Chanel em Madrid como uma homenagem à elegância, à modernidade atemporal e à ousadia de Mademoiselle Chanel. Misturando sofás de tweed, tons pastel com grafite e dourado, mobiliário antigo e moderno e obras de arte contemporânea, a intenção aqui foi recriar todo o refinamento e o misticismo do famoso apartamento de Coco Chanel na Rue Cambon em Paris.

Veja que incríveis essa mesa de centro, que integra uma escultura do artista franco-americano Arman, feita com tubos de tinta de pintura em branco e preto – as cores de Chanel – e a vitrine, com a escultura The Golden Blind, encomendada ao artista francês Jean Michel Othoniel, cujas peças de cristal homenageiam o icônico colar de pérolas da Chanel.

Impressionante a loja da Chanel, mas mais impressionante ainda é a figura e a personalidade do autor da obra. O que vem comprovar pra mim, que ter múltiplos interesses, ser um pouco excêntrico e ter uma boa dose de autoestima pode talvez não levar a tanto sucesso profissional como tem Peter Marino, mas pode deixar a nossa vida bem mais interessante, completa e, certamente, mais divertida.

Fonte: AD Espanha e NY Mag

Tags from the story
,

Deixe seu comentário.