Truque contra reclamadores crônicos

Meu truque para lidar com reclamadores crônicos

Já aconteceu de você acordar feliz da vida e dar de cara com alguém, que parece acordou com o objetivo de estragar seu dia? Ou já ligou pra alguém só pra bater um papo e a pessoa já atende com aquele alô de moribundo, que te dá na hora vontade de dizer, desculpa, foi engano? Comigo acontece toda hora! Eu devo ter algum imã pra pessoas negativas, devem olhar pra mim e pensar “é agora que eu vou tirar o sorriso idiota da cara dessa daí”.

Truque contra reclamadores crônicos

E o meu imã não faz distinção: atrai os que descrevem por horas todas as suas doenças e dores (às vezes até ilustrando com as fotos tiradas no celular), os que reclamam de falta de dinheiro, do Brasil, do emprego, dos companheiros, dos pais, dos filhos, da chuva, do sol… Enfim, nada é bom, tudo está errado e o mundo inteiro conspira contra eles.

Antes eu tentava ajudar, consolava, sugeria alternativas, até que um dia eu percebi que o único resultado que eu conseguia com esse meu empenho era o meu dia estragado. Esses reclamadores crônicos não procuram, na verdade, uma solução para os problemas, o que eles querem é só desabafar e reclamar (e, convenhamos, também encher o saco de quem calhou de estar por perto naquela hora – no caso, eu).

Aí você pensa: corta relações e se afasta dessas pessoas! Tá certo, mas e quando elas são parentes ou amigos queridos? Como fazer? Bem, pra esses casos eu desenvolvi uma estratégia!

Primeiro passo: fugir o mais depressa possível! Invento um telefonema, uma panela no fogo, qualquer coisa, e bato em retirada o mais rápido que consigo pensar numa desculpa. O segundo passo já é mais difícil, requer treino, mas também só precisa ser usado quando fugir fisicamente não é possível (se estou encurralada num carro, por exemplo): respiro fundo, relaxo os olhos, deixando-os semiabertos, coloco um sorriso idiota nos lábios e fujo mentalmente, levo meus pensamentos para um lugar muito mais interessante e prazeroso, uma praia, um shopping, o Champs-Élysées, qualquer lugar onde eu acalme meus neurônios e faça com que eles parem de querer fugir da minha cabeça e estrangular a pessoa que está tentando aniquilá-los. É difícil, mas com treino é totalmente possível, eu já consigo e já estou na fase de aperfeiçoamento: em breve ainda serei capaz de conseguir falar nas horas certas coisas como “uhum” e “é mesmo”.

Cruel com a pessoa querida? Um pouquinho, mas pense bem, desse jeito todo mundo consegue o que quer: o chato querido reclama o que tem que reclamar e eu, como não me deixo afetar, não me aborreço, não tenho o meu dia estragado e ainda faço a minha boa ação do dia: servir de muro das lamentações pra alguém.

E você, também tem reclamadores crônicos na sua vida? E arranjou táticas para lidar com eles? Me conte!

Tags from the story

Deixe seu comentário.