A beleza dos palácios subterrâneos do METRÔ DE MOSCOU

Seja pessoalmente ou através de fotos, a maioria de nós já se encantou com as estações de metrô de Moscou – e sentiu uma grande inveja, ao comparar com as nossas – mas agora podemos apreciar os detalhes de toda a opulência e grandiosidade dessas estações, imortalizadas pelas lentes do arquiteto e fotógrafo canadense David Burdeny em sua impressionante série de imagens, A Bright Future – New Works from Russia.

Os palácios subterrâneos do metrô de Moscou

Construído sob o comando de Stalin como uma forma de propaganda comunista, o metrô de Moscou data da década de 1930 e foi um dos maiores projetos de arquitetura da antiga União Soviética. Como parte do seu plano de construir uma pátria socialista, Stalin ordenou a seus arquitetos que encarnassem em seu trabalho o conceito de luz, “svet” e “sveltloe budushchee” ou “um futuro brilhante”, e que criassem estruturas que obrigassem as pessoas a olharem para cima para admirá-las totalmente, assim como alguém é obrigado a olhar para cima para admirar o sol – um ato de adoração, que, na imaginação de Stalin, seria extensiva a sua pessoa.



Com deslumbrantes tetos altos, mosaicos, esculturas, decorações em alto relevo e grandiosos candelabros que se refletem nas paredes de mármore, as estações de metrô de Moscou ficaram conhecidas como “palácios subterrâneos” e foram construídas com a intenção de serem um lembrete eterno a todos que passassem por ali, que Stalin e seu partido fizeram algo tão significativo e imponente para seu povo, em retribuição por todos os seus sacrifícios.

Hoje a rede moscovita de metrô está com 80 anos, conta com 196 estações, distribuídas em 12 linhas que percorrem 327,5 km. O de São Paulo, para efeitos de comparação, tem 41 anos, 78 km de extensão, 6 linhas e 67 estações.

Conseguir permissão das autoridades para fotografar as estações não foi tarefa fácil. David precisou de mais de um ano lutando com a burocracia russa. Nas duas semanas que levou para fazer a série de fotos, ele ainda teve que pagar aluguel por cada estação e por cada hora utilizada e só podia fotografar nas plataformas depois da meia noite, quando o metrô estava fechado.

A série de fotos A Bright Future – New Works from Russia está atualmente em exposição na Jennifer Kostuik Gallery em Vancouver, Canadá.

Tags from the story

Deixe seu comentário.